facebook icon   instagram icon   linkedin icon

 


cadeado3 Área do associado - Cadastro

Associado - LOGIN

Soluções em automação na indústria farmacêutica

Soluções em automação na indústria farmacêutica

O desejo de criar robôs que facilitem o trabalho humano não é novidade. Cada vez mais presentes nas fábricas e grandes indústrias, eles são um antigo sonho humano, pois elevam a produtividade, melhoram a qualidade dos produtos, aumentam a velocidade da execução das tarefas, eliminam erros e reduzem custos.

Em comparação com as máquinas comuns, um dos maiores diferenciais dos robôs consiste no fato de conseguirem executar tarefas pré-programadas de forma autônoma, coletando dados por meio de sensores, analisando o cenário e tomando as decisões mais apropriadas. O primeiro robô industrial surgiu na década de 50. Desde então, a robótica se desenvolveu e chegou aos avançados robôs da atualidade.

De acordo com a Federação Internacional de Robótica (IFR, na sigla em inglês), o volume de robôs industriais vendidos em todo o mundo atingiu o recorde de 380 mil unidades em 2017, um aumento de 30% em relação ao ano anterior. O crescimento é puxado pela indústria automotiva, mas há um interesse cada vez maior dos segmentos farmacêutico, químico e de alimentos e bebidas nos autômatos. No setor farmacêutico em especial, a aplicação dos robôs é extensa e variada, podendo ser utilizados no desenvolvimento, produção, comercialização ou distribuição de medicamentos.

Gerenciamento da distribuição

Empresa líder global em tecnologia médica, a BD oferece soluções de automação para distribuição farmacêutica e tem como um dos seus principais produtos os robôs da linha BD Rowa Technologies. A companhia já instalou seis desses robôs na América Latina – três deles no Brasil. Por conta dos milhares de medicamentos que são transportados para farmácias e hospitais diariamente, o gerenciamento da distribuição é uma tarefa complexa, que exige agilização no controle e aperfeiçoamento na organização. “Para nós, trazer o Rowa para o Brasil é uma importante contribuição para simplificar os processos, reduzir os custos e aumentar a segurança do paciente”, explica Juan Carlos Esquivel, Diretor de Sistemas de Gestão de Medicamentos da BD.

Segundo Esquivel, a principal vantagem da robótica para os distribuidores de medicamentos consiste em proporcionar maior eficiência. As soluções da área otimizam os processos, diminuem o número de produtos escolhidos incorretamente e reduzem os custos com pessoal. Com a ajuda dos robôs, os medicamentos são separados de acordo com o pedido e colocados em caixas, dispensando a conferência humana. É possível ainda customizá-los para diferentes tamanhos de centros de distribuição, fluxos de trabalho e volumes de pedidos.

Na visão do Diretor de Sistemas de Gestão de Medicamentos da BD, o uso de robôs é uma tendência no setor farmacêutico, impulsionada pela integração de soluções. “O robô é uma solução integrada de automação que proporciona o controle completo do processo de distribuição, garantindo conformidade e tranquilidade”, indica ele, mencionando também que a automação pode gerar maior produção e entregas mais eficientes. “O BD Rowa Technologies permite que as empresas adotem tecnologias do futuro sem apreensão. Isso vai melhorar a eficiência da distribuição e gerar benefícios de economia a longo prazo”, garante.

Farmácias e hospitais

A BD também oferece soluções para agilizar a gestão de medicamentos em e farmácias e hospitais. Esquivel explica que o robô é desenvolvido com tecnologias que “aprendem” as práticas diárias de distribuição, conseguindo operar de maneira inteligente e segundo a demanda. “As vantagens dessa tecnologia são a velocidade e a precisão. O robô leva apenas 30 segundos para localizar corretamente o medicamento e disponibilizar o produto para o farmacêutico ou atendente”, destaca.

Nos hospitais, o Rowa acompanha o caminho percorrido pelo medicamento desde a realização do pedido até a chegada ao paciente. “Nesses locais, a automação evita desperdícios, pois monitora a dosagem e a data de validade das medicações, diminuindo os gastos com a manutenção de estoque”, conclui Esquivel. Além disso, o medicamento é separado de acordo com a dose indicada para cada paciente, evitando risco humano na manipulação e reduzindo a possibilidade de contágio.

Como funciona o robô Rowa?

O primeiro robô Rowa da América Latina foi instalado em 2015. Com capacidade para processar até 60 mil unidades, ele foi programado para desempenhar as mesmas funções dos armazenadores e separadores de produtos. Quando os medicamentos chegam na distribuidora, eles passam por um sensor de código de barras que cadastra o recebimento do produto no sistema. Para executar esse primeiro passo, existem duas opções: 1) a entrada manual, em que o funcionário escaneia os produtos; e 2) a unidade automática de entrada, em que o próprio robô faz a leitura do código de barras. Feito isso, os produtos são encaminhados por uma esteira para que o robô faça o armazenamento no espaço designado.

O Rowa é equipado com câmeras, sensores, leitores de códigos de barras e braços mecânicos, garantindo que os medicamentos sejam estocados de maneira correta e eficiente nas prateleiras. Quando o cliente realiza um pedido, a solicitação é feita pelo funcionário por meio do software. O sistema então envia as informações para o robô, que logo inicia o processo de separação dos produtos com rapidez e precisão. Os medicamentos são depositados em uma esteira e passam por diversos processos de conferência até chegarem ao funcionário que cadastrou o pedido.

A maior vantagem do Rowa consiste em possibilitar que todo o processo de separação e armazenamento seja feito de maneira automática, eliminando o risco de erros e dispensando a conferência.

Rafael Guedes


Image

telefone rodape(11) 2385-5860

endereco rodapeRua Verbo Divino, 2001 | Torre B
Sala 607 | Chácara Santo Antônio
São Paulo

telefone rodapeComunicação:
Aline Siqueira - Assessoria
aline@abradimex.com.br

Image